Archive for fevereiro \28\UTC 2008

h1

como é bom ter gente que gosta da gente…

28 d e fevereiro d e 2008


…e que se lembram de mim quando vêem um bonequinho meio múmia meio ladrão meio fugindo de casa!

isso só pode significar que essas pessoas me conhecem muito bem!

é muito amor nessa vida!

muito obrigado a minhas duas queridas que fazem minha vida melhor!

h1

Carnaval- Final

23 d e fevereiro d e 2008
Tá que isso já tá a coisa mais antiga e desatualizada do mundo virtual, mas mesmo assim continuo a descrição do carnaval.

No dia do Rancho ficamos sabendo por pessoas alheias que havia um novo bloco “o novo boitatá” “o boitatá a 5 anos atrás” foi assim descrito. O bem-dito chamava-se Zoobloco e eu, como adoro um hype, fiquei muito afim de participar! [É bom que daqui a um tempo eu posso falar “eu fui no zoobloco, mas eu fui no começo, quando ninguém conhecia e era bom de verdade”, né rochinha?!]

O zoobloco é um bloco que também sai da Praça XV [ponto a favor!] da frente do IBAMA [ponto positivo pela piada], só canta músicas de bichos e todo mundo vai fantasiado de algum bicho!

as músicas:
1. Saltimbancos:
Todos juntos
Jumento – refrão
Cachorro
Gatos – (começa pelo
refrão)

2. Arca de Noé:
Peru – refrão
O pato
Peru – refrão
Abelha
Peru – refrão

3. Baião C
Xo, xuá
Gato Preto
Xo, xuá
Mosca na sopa
Xo, xuá
Carangueijo
Xo, xuá

4. Marcha Dó
Pulga e percevejo – refrão
Carneirinho, carneirão
Pulga e percevejo
Peixe vivo
Pulga e percevejo
Gato na tuba (começa pelo refrão)

Pulga e percevejo – refrão
Atirei o pau no gato
Pulga e percevejo – refrão

5. Marcha Sol
O galo tem saudades da galinha
carijó – refrão
Barata na careca do vovô
Boi da cara preta
Passarinho quer cantar

6. Marcha Lá
O sapo não lava o pé
Marilu
Coelinho

7. Funk
Lobo mau
Bichos escrotos
Lacraia
Eguinha pocotó
Só as cachorras
Bonde do Tigrão
[ponto positivo de novo!]

Lembrei muito da clózinha com essas músicas! Ela ia bombar demais!

Fiquei muito afim de ir, mas os amigos preferiram um outro programa [ponto negativo], mas na abertura das urnas, os pontos positivos foram maioria então decidi ir por minha conta e risco! Usei todas as armas da culpa cristã e convenci Ortega e Lívia a irem comigo, mas chegando lá vi a cara de preguiça deles e liberei os dois da minha companhia e do fogo do inferno.

Mas me diverti a beça! O bloco era bem menor que os anteriores e por isso não havia corda separando os “foliões” dos músicos, então era bem menos estressante e sem tanto empurra-empurra. Os músicos eram muito bons com dois tambores e 5 saxofonistas! Foi bonito de ver e me despedir do centro do rio! Além disso foi uma desculpa pra me fantasiar de bichinho e criar uma orelinha com o meu próprio cabelo!

[eu sei, eu sou muito criativa!]

No dia seguinte, debaixo de uma chuva nos despedimos do Rio e voltamos a BH numa viagem dos infernos, com chuva, neblina, acidente, engarrafamento, buraco e tudo de ruim que uma viagem pode ter, mas ouvimos músicas boniiiitas e rimos muito!

h1

Interrompemos nossa programação para informar:

15 d e fevereiro d e 2008
EU PEGARIA A NATALIE PORTMAN!

Ela é muito foda, psicóloga, formada em Harvard, amiga dos animais e fez sapatos lindos VEGAN!

Por que eu não consigo ser tão foda assim?!

h1

Carnaval- Parte III

15 d e fevereiro d e 2008

Segunda-feira de carnaval já começa a dar aquela tristeza do fim…

Mas nessa segunda iria acontecer o tão aguardado, por mim pelo menos, RANCHO FLOR DO SERENO. Eu não sabia o que era um rancho e compartilho com vocês minha descoberta:

“Rancho carnavalesco. 1. Bras. RJ Bloco carnavalesco ou grupo de foliões que percorrem as ruas dançando e cantando em coro as músicas mais populares do carnaval, ou a marcha característica do grupo, desfilando em préstito e geralmente levando estandartes alegóricos. [Tb. se diz apenas rancho.]”

Esse rancho é realizado pelo Bar Bip Bip, que no carnaval de três anos atrás saiu com o bloco mais divertido no melhor estilo “cada um faz o que quer” à meia noite de terça-feira como um fechamento do período carnavalesco. O bloco dava a volta no quarteirão e fim em cada pedaço do bloco era possível ouvir uma marchinha diferente! Liiindo!

Aliás, esse bar é meio mítico do rio, ele tem o principal: Um dono muito mau humorado e se você acompanha esse blog ou me conhece sabe da minha grande admiração pelo mau humor alheio, especialmente em bares! Quando fomos ao Tim eu, Rocha, Fu e Let fomos lá para tomar uma cerveja e o esquema é super anárquico “do it your self”. Você vai até o frezzer pega sua cerveja, dá um sinal pro dono como um aviso, enquanto ele fica na mesa com os amigos jogando purrinha ou qualquer coisa do tipo. E ele tem a cara de pessoa mais brava do mundo! Fofiiiinho!

Mas enfim, esse é um tópico sobre o Rancho. Foi uma super produção, uma mega orquestra, tinha tipo uns 20 músicos, instrumentos de toda ordem, quatro cantores e um MAESTRO! Eu acho maestro o máximo, tipo programa do Sílvio Santos! So Classy!
Uma pena ele ser feito num palco estático por que isso acaba deixando tudo muito mais tumultuado, mas ao que parece eles não tiveram grana para alugar um carro de som.
O discurso inicial do dono do Bip-bip foi maravilhoso ele berrava “todo mundo tem que doar sangue!!!” e eu e o Ortega quase fomos na mesma hora! Ele agradeceu a dona Socorro que é uma vizinha do bar e que mesmo de cadeira de rodas foi assistir ao show! Eu quase chorei, sério!
No intervalo, um casal de velhinhos que assistia ao show da janela do apartamento foi convocado pela multidão por um “beija! beija!” e todo mundo foi ao delírio quando eles beijaram! Magia e Sedução demais!

Esse dia todo mundo estava bonito demais!

gente bonita, clima de paquera!

E eu, para completar meu visual columbina, ganhei estrelinhas de uma moça alheia e muito gentil!

carnavalesca contemporânea! sem minimalismo!

Enfim, foi um dia muito bonito e muito emocionante!

h1

Carnaval- Parte II

11 d e fevereiro d e 2008
No dia seguinte eu acordei me sentindo muito melhor então, obviamente, o céu amanheceu nublado. Mas domingo era o dia do Boitatá, que é um bloco lindo de viver!
Obviamente não vou ser ingênua o suficiente pra dizer que esse é o verdadeiro carnaval do rio, porque de verdade não é! [aliás, reaprendi a regra dos porquês ontem no cursinho!], mas é o carnaval que eu gosto, acho bonito de tudo. Meu amigo fala que dá uma tranqüilidade quando vemos famílias e crianças pulando carnaval do seu lado! E isso é a mais pura verdade! Eu acho que esse é um dos motivos do carnaval de rua do rio ser tão diferente das micaretas de diamantina e etc. [isso e o fato de que a maioria dos cariocas não ficar no rio no carnaval!]
Mas esse dia tava uma chuva infinita, mas apossadas de um espírito carnavelesco muito potente e eu munida de uma capa de chuva , para não dar espaço para a virose voltar, seguimos atrás do bloco que havia começado às 8 HORAS DA MANHÃ! O carnaval no rio é extremamente diurno, mas o boitatá sai assim tão cedo pra evitar ficar muito gigante. Nos anos anteriores eles divulgavam a hora e o local errado da concentração para que só os iniciados participassem da festa [o que eu particularmente acho muito pela!], mas esse ano parece ter tido uma ampla divulgação porque mesmo debaixo de um toró e praticamente madrugada para qualquer carnavalesco o bloco estava lotado, todo mundo fantasiado e bombando com batidas funk em “mulata bossa nova/ caiu no rali gali/ e só dá ela…”! foi muita diversão junta!
Nesse dia estreie minha fantasia enfermeira por marc jacobs:

O bloco partiu da praça XV e desfilou pelas ruas lindas do centro do rio! E é uma sensação única que aquele lugar dá! É muita esquizofrenia! Tem sobrado caindo aos pedaços, prédios recém restaurados todo bunitinhos, e do nada um mega edifício coorporativo todo de vidro espelhado. Ruazinhas minúsculas e cheias de bares com muita história e do lado uma mega avenida de cinco pistas! Resumindo: O centro do rio é minha parte predileta da cidade, fato. Por isso nem fiquei tão chateada de não ir à praia [e eu também só vou à praia pra comer!]. Eu estive onde eu queria estar!

Quando o bloco acabou de desfilar, subiu num palco montado no meio da praça XV. Ai achei que ficou muito chato. Muito cheio, meio diamantina e chovendo. FRITEI! Fui pra casa, tomei banho, vi super nanny e fiz mais sopa. Tudo na luta contra a virose!

continua…

h1

Carnaval e outros demônios

9 d e fevereiro d e 2008
Chegamos ao rio depois de enfrentar todas as estações do ano na estrada, pegamos, chuva, sol, frio e ficamos na esperança dessa maldita chuva não nos pegar no rio. Na nossa chegada estava chuviscando muito levemente, fomos [eu cássia e elisa] pra casa do Ortega e tomamos um banho e combinamos de encontrar com Rafael e Lívia no Flamengo para talvez ir ao Santa Teresa! Entretanto na porta da casa do rafael tinham “VOMITADO” carnaval e tinha um bloco fofinho que eu não descobri até hoje como que chama, mas eu vi um estandarte escrito “brejeiro”, então supus que esse era o nome. Muitas marchinhas boas e a apoteose no “vou beijar-te agora não me leve a mal hoje é carnaval!” fiquei tão emocionada que quase chorei, mas nesse dia meu estômago já começou a dar sinais de enlouquecimento e fui correndo pra casa do Rafael onde passei o mal estar da vida!

O dia seguinte também foi tomado pelo meu estômago, mas que já mostrava sinais de melhora, mas por essa reviravolta estomacal eu perdi o único dia de sol e o bloco Céu na Terra, que desfila no Sta Teresa e é bonito demais de viver!
Aqui uma foto da Elisa no MEIO do Céu na Terra:

ai se fosse o MEU…
Nesse dia eu vi lost, li um pouco e comi sopa. No fim da noite tive febre pra fechar a virose com chave de ouro!

Continua…

h1

como eu gostaria de ser no carnaval:

4 d e fevereiro d e 2008

uma bolsinha desenhada pelo Marc Jacobs também ajudaria a compor o visual né?!

Depois posto as fotos da minha interpretação carnavalesca de Marc Jacobs!

ahaza! ahaza!